Carregando...
CriptofacilFernando LusvarghiLeidimar LopesNotíciasUnick

Vídeo exibido no site da Unick engana investidores sobre retorno da empresa

Vídeo exibido no site da Unick engana investidores sobre retorno da empresa

Após a liberação de Leidimar Lopes para cumprir a prisão preventiva em casa, bem como a remoção da exigência da fiança de R$ 200 mil para soltar Danter Silva e Marcos Kronhardt, algo inusitado aconteceu com o site da Unick.

Logo na página inicial, o ex-diretor jurídico da Unick, Fernando Lusvarghi, está com Leidimar Lopes em um veículo. Abaixo do vídeo, uma mensagem de que a Unick voltará “mais forte do que nunca”.

É falso

Tanto Lopes quanto Lusvarghi estão em prisão domiciliar, desta forma, não é possível que o vídeo gravado seja recente. Não só isso, mas uma das condições para a mudança de regime de cumprimento de prisão do chefe da Unick é que ele não se comunique com outros acusados do processo – e Lusvarghi consta na lista de denunciados pelo Ministério Público Federal.

Abaixo do vídeo em que Lusvarghi aparece ao lado de Lopes, há uma mensagem prometendo o retorno da empresa:

“VAMOS VOLTAR A TRABALHAR COM FORÇA TOTAL E MAIS FORTES QUE NUNCA.
ATIVE SUAS REDES E ESPALHE A MENSAGEM PARA A FAMÍLIA UNICK, É HORA DE TRABALHAR E VOLTARMOS A CAPTAR.”

Ainda não se sabe se a página da Unick foi hackeada, ou se alguém com acesso ao endereço mudou a página inicial para enganar as pessoas que entravam no endereço.

Até então, não se teve notícias do chefe da Unick, tampouco dos outros dois ex-diretores que tiveram a exigência de fiança revogada. Por meio da Recomendação 62/2020 do CNJ, que leva em consideração o atual surto de coronavírus, todas as concessões foram dadas aos integrantes da Unick por meio de decisões do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Por meio da referida recomendação, todas as prisões preventivas vigentes a mais de 90 dias devem ser revogadas, nos casos em que o crime não foi praticado com violência, quando o acautelado não é de periculosidade notória ou quando não há risco de fuga ou destruição/ocultação de provas.

Leia também: Atlas Quantum transforma saldo migrado em token ERC20 chamado BTCQ