Carregando...
CriptoativosCriptofacilCriptomoedasFSBG20NotíciasRegulamentação

Conselho para Estabilidade Financeira pede ao G20 urgência na regulação de moedas digitais

Conselho para Estabilidade Financeira pede ao G20 urgência na regulação de moedas digitais

O Conselho de Estabilidade Financeira (FSB, na sigla em inglês), enviou uma carta aos Ministros das Finanças e Governadores do Banco Central do G20 pedindo urgência na regulação das moedas digitais. Os líderes do grupo se reúnem neste sábado e domingo, 22 e 23 de fevereiro, em Riad, na Arábia Saudita.

De acordo com o Valor Econômico, o documento, redigido pelo presidente da entidade, Randal K Quarles, destaca que os membros do FSB reconhecem a velocidade da inovação na área de pagamentos digitais, incluindo as moedas digitais.

A instituição, que coordena globalmente a atuação de reguladores nacionais e internacionais, explicou que está decidida a acelerar o ritmo de desenvolvimento das respostas regulatórias e de supervisão necessárias a esses novos instrumentos. O FSB é responsável por estabelecer normas e padrões para o setor financeiro e, futuramente, deve se transformar em uma organização mundial.

Na carta, Quarles explica que o projeto Libra do Facebook, é um dos principais desafios no que diz respeito ao impacto de uma suposta moeda digital global. Diante disto, o presidente do FSB observa que o sistema financeiro global está constantemente enfrentando novos desafios. Isso porque a tecnologia está transformando a natureza do financiamento tradicional através de inovações que podem criar benefícios, mas também riscos potenciais.

Segundo o conselho, houve um aumento significativo da quantidade de ativos financeiros globais no setor não bancário, o que demanda maior entendimento e coordenação entre supervisores e regulamentadores.

“Existem pressões que podem levar à fragmentação do mercado. (…) os setores oficial e privado têm muito a realizar para garantir uma transição tranquila para um mundo pós-Libor’”, destacou a entidade, referindo-se ao instrumento de referência de taxa de juros, que acabará em menos de dois anos.

Leia também: Empresa de análise aponta que preço de petróleo apresentou mais volatilidade do que o Bitcoin